segunda-feira, 25 de junho de 2012

Minha Guerra



" Em algum lugar eu vejo a luz
Em algum lugar eu vejo a paz
Caminho pelos vales obscuros da desilusão
Encontro pétalas de sangue mortas sobre o chão
Sigo meus instintos e ouço meu coração
Atravesso a noite escura e gélida do medo
Me resplandeço por entre as pedras iluminadas da paixão
Não me esqueço, não espanto, me enriqueço
Me transbordo de esperança e sigo em frente
Sobre os murmúrios de minha indecisão, caio.
Me reergo e contemplo minha derrota
Aprendo que meus erros me transformam e cresço
Vou em frente em busca de minha glória
Novamente me deparo com meus monstros
Ainda mais ferozes e fortalecidos
Busco em minhas fraquezas a força pra lutar
Atravesso meus obstáculos e sorrio
Encontro a luz por trás de seu olhar
Vejo que minha guerra nunca poderá acabar
Mas me lembro que em ti, minha paz irá reinar "

Régis Paiva

Nenhum comentário:

Postar um comentário